Diretoria do São Paulo impõe condição para negociar Igor Gomes com o futebol europeu

Meio-campista é uma das principais revelações do Tricolor nas últimas temporadas

Devido ao déficit de R$ 156 milhões em 2019, o São Paulo terá de fazer nova venda em 2020 para equilibrar as contas já que os valores do negócio de Antony com o Ajax, da Holanda, não foram suficientes. A bola da vez para receber ofertas de clubes europeus é ninguém mais, ninguém menos que Igor Gomes.

O jovem meio-campista cria de Cotia é alvo de Real Madrid, da Espanha, Juventus, da Itália, e PSG, da França, e tem tudo para ser o próximo a dar adeus ao Morumbi. Porém, o gerente-executivo de futebol, Alexandre Pássaro, garante que ainda não foi apresentado nada pelo atleta de 21 anos.

Não chegou nada. É lógico que a gente vai precisar fazer uma venda ou outra, e vamos ter que esperar o reflexo final da pandemia para entender o prejuízo, se vamos precisar vender mais ou menos do que a gente esperava, porque quando a gente se planejou lá atrás não existia esse cenário de pandemia que existe hoje“, disse o dirigente em entrevista ao jornal Lance!.

Atualmente, não há ofertas na mesa do São Paulo, mas a volta do futebol na Europa e o jogador estar com o passaporte português em processo é um indicativo positivo para atrair compradores. Liziero e Helinho foram outras joias da base que estiveram na mira de gigantes, mas a queda técnica em 2020 acabou afastando interessados.

Igor Gomes tem contrato com o São Paulo até março de 2023 e uma multa rescisória de 50 milhões de euros (R$ 272 milhões). O portal Meu Tricolor apurou que uma oferta entre 35 a 40 milhões de euros (R$ 222 milhões) será o suficiente para o meia ser vendido. Porém, a condição da diretoria do Tricolor para fazer negócio é com o atleta saindo apenas após o fim da temporada de 2020.

Quando você vende no meio do ano para entregar no fim do ano ele chega lá no meio da temporada, uma prática que os europeus costumam não gostar. Quando eles compram no meio do ano, normalmente eles estão precisando daquela posição, daquele jogador, para iniciar aquela temporada. Claro que nossa ideia vai ser manter os nossos jogadores o maior tempo possível jogando no São Paulo, mas tem períodos, clubes e situações específicas que a gente tem que esperar para ver. Nossa tentativa vai ser sempre nesse sentido“, finalizou.

IMPORTÂNCIA DE IGOR GOMES NO ORÇAMENTO DO SÃO PAULO

O planejamento financeiro do Tricolor para 2020 prevê um lucro de 33 milhões de euros (R$ 155 milhões) em vendas de jogadores da base e do elenco profissional. Hoje, o clube embolsou 7 milhões de euros pela venda de 20% dos direitos de David Neres ao Ajax e ainda vai receber mais 16 milhões pela compra de Antony.

Ou seja, a diretoria do São Paulo já conseguiu 23 milhões de euros e faltam ‘apenas’ 10 milhões de euros para bater a meta orçamentária. A venda de Igor Gomes pode significar a quitação de débitos do ano passado e o equilíbrio financeiro para o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, passar o cargo para o futuro mandatário com as contas no azul no fim de 2020.

Além disso, ainda falta adicionar a somatória total o valor de 1 milhão de euros (R$ 5,5 milhões) referentes da negociação de prioridade de compra de Gustavo Maia ao Barcelona, da Espanha, até o meio de 2020.

O clube catalão tem até o dia 30 de junho para pagar a quantia em que lhe garantiu a prioridade ou acertar a compra definitiva da jovem revelação da base do São Paulo por 4,5 milhões de euros (R$ 25 milhões).

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

O Meu Tricolor usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Leia mais