Mesmo com dois golaços, Ceni diz ter ficado triste após vitória do São Paulo contra o Tigres: “Não dormi”

M1to relembrou o dia em que teve a chance de fazer história com um hat-trick sendo goleiro

Rogério Ceni viveu um dos momentos mais marcantes como goleiro-artilheiro em 01 de junho de 2005. Na vitória do São Paulo por 4 a 0 sobre o Tigres, do México, pela Copa Libertadores, ele guardou dois golaços de falta, porém, ficou o sentimento de que podia mais: o terceiro gol.

Em entrevista à ESPN Brasil, o M1to, que hoje é trabalha como técnico do Fortaleza, relembrou a noite mágica vivida no estádio do Morumbi e contou detalhes dos dois golaços de falta marcado no jogo.

Foi uma noite que, pra mim, foi extremamente especial, é claro, pela vitória, um jogo que começou truncado e uma falta em uma distância maior do que as que normalmente eu batia, já encaminhando para a última parte do primeiro tempo. E eu pude fazer aquele gol de falta que eu acho que deu confiança“, disse.

Quando o time mexicano esboçada reação, Josué roubou boa bola no meio de campo, aos 39 minutos do primeiro tempo, Grafite foi acionado próximo a área e tocou para Cicinho cruzar na medida para Luizão marcar o segundo e trazer tranquilidade. O Tricolor foi para o vestiário com 2 a 0 a favor.

QUASE HAT-TRICK DE CENI

Aos 10 minutos da etapa final, Luizão surgiu de ladrão em cima de Da Silva e o zagueiro do Tigres se viu obrigado a cometer falta na meia-lua para evitar novo gol do São Paulo – e acabou expulso.

O goleiro Campagnuolo já havia sofrido gols de Ceni ainda quando ambos ainda despontavam para o futebol e o goleiro do Tricolor fez uma aposta certeira que resultou no terceiro gol – o seu segundo na partida.

Volta para o segundo tempo, tem aquela outra oportunidade. Eu já havia jogado contra o Campagnuolo uma Copa Mercosul, não lembro exatamente o ano [foi em 1999], contra o San Lorenzo, e eu tinha feito um gol de falta nele [o segundo da goleada por 4 a 1]“, recordou Rogério Ceni.

Naquela noite, eu tive a oportunidade de, na outra falta, puxar do lado contrário a bola, eu já tinha batido por cima da barreira e na minha cabeça, pensando logicamente como goleiro adversário, eu não poderia tomar novamente o gol naquele canto, então, eu usei aí o pensamento dele, goleiro, como se eu tivesse lá embaixo das traves“, detalhou.

E foi aonde eu puxo a bola ao contrário, dá o efeito da bola saindo pro canto dele, ele dá um pequeno passo para a esquerda e é o suficiente, a bola entra na lateral da rede e é o suficiente para que a gente faça o terceiro gol, o Souza faz o quarto“, explicou.

Cinco minutos depois, Júnior fez lançamento perfeito por trás da zaga, Souza matou no peito e bateu na saída do goleiro do Tigres para transformar a vitória em goleada.

Aos 23, Tardelli recebeu bom passe de Souza na área, deixou o adversário na saudade e foi derrubado. Cerca de 43 mil pessoas presentes no Morumbi entoaram o nome de Rogério Ceni para vê-lo entrar para a história como goleiro a marcar três gols numa única partida.

E aí vem a parte mais delicada da história. Era para ser uma noite [feliz], foi uma noite feliz, mas era para ser uma noite completa, não pelo fato de ficar na história por marcar três gols em um jogo, mas perder um pênalti é sempre decepcionante. Então, eu bato [aos 24 minutos] com convicção e confiança o pênalti, eu já tinha na minha cabeça canto direito e bola no alto. E ela sai, apesar de ela sair longe de distância, ela sai muito próxima da trave, sai cinco, dez centímetros de altura por cima do travessão“, relembrou.

Mas um jogo sem dúvida especial, dois gols de falta em uma mesma ocasião, algo único, histórico, e dois gols bonitos de falta. Uma pena não ter saído de maneira inteira, completa com o terceiro… com o 5 a 0 que daria mais segurança ainda na classificação e com esse ponto na história de ter feito três gols em uma mesma partida“, seguiu o ex-goleiro, contando tudo que sentiu naquelas noite e madrugada.

Naquela noite, eu fiquei sem dormir um bom tempo, não comemorando os dois gols que fiz, mas, sim, lamentando o pênalti perdido… Mas de qualquer maneira, hoje, passados os anos, passado tanto tempo, foi um feito fantástico, uma coisa que hoje eu não sairia chateado do estádio“, finalizou.

ASSISTA AOS GOLS DO M1TO NA VITÓRIA DO SÃO PAULO SOBRE O TIGRES:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

O Meu Tricolor usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Leia mais