De olho no River Plate, São Paulo cogita time reserva contra o Santos

Após o empate do São Paulo por 1 a 1 com o RB Bragantino, no Morumbi, em jogo da nona rodada do Brasileirão 2020, o técnico Fernando Diniz foi questionado sobre qual é o planejamento do Tricolor para os duelos contra Santos, pelo nacional, e River Plate, pela volta da Libertadores.

Em entrevista coletiva, o comandante não garantiu o time titular no clássico já que a partida contra os argentinos é vista como importante para ajudar o Tricolor a dar passo rumo a classificação no torneio sul-americano.

Não é uma coisa que está definida, estamos estudando ainda. O jogo contra o Santos também é importante, e o jogo contra o River é na quinta. Temos que conversar, ouvir os jogadores, para definir o time contra o Santos e também pensar no River. Mas, nesse momento, temos que focar no clássico, que também é um jogo importante”, afirmou Fernando Diniz.

LEIA MAIS DO SÃO PAULO:
+ Ex-jogador do São Paulo vê evolução do trabalho de Diniz: “Faz um trabalho legal”
+ São Paulo anuncia parceria com empresa de isotônicos naturais; confira detalhes
+ Liziero sofre entorse, passa por cirurgia no tornozelo e não joga mais em 2020; veja prazo de recuperação

Para o confronto com o River Plate, Fernando Diniz não terá à disposição o atacante Pablo, com uma lesão na região da costela, Luciano, suspenso, e Daniel Alves, que fraturou o braço. Por isso, contar com todos os outros atletas restantes é primordial para manter um nível competitivo satisfatório, já que o trio, hoje, seria titular absoluto.

Por outro lado, a necessidade de encontrar uma regularidade no Campeonato Brasileiro e deixar os altos e baixos nessas primeiras rodadas para trás faz com que Fernando Diniz também pense em ir a campo contra o Santos com força máxima.

A gente tem que ser mais consistente, porque um time que está pensando em ganhar o campeonato tem que manter a consistência. Não pode oscilar, fazer um tempo ruim e ouro bom, um jogo ruim e outro bom. Todos vão oscilar, mas temos que diminuir nossa oscilação”, disse o treinador.

O jogo de sábado é importante, é um clássico, e na quinta-feira temos um jogo de caráter decisivo contra o River Plate. Precisamos ser mais coesos psicologicamente, taticamente e fisicamente. Esse é o nosso maior problema desde quando começou o Campeonato Brasileiro”, concluiu.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

O Meu Tricolor usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Leia mais