Rogério Ceni explica como lida com a ‘pressão’ de voltar a ser treinador do São Paulo

Primeira experiência do ex-goleiro como treinador aconteceu em 2017 no Tricolor

Considerado um dos maiores ídolos do São Paulo, Rogério Ceni não teve uma chance como treinador no Tricolor como sonhou em 2017 e não esconde de ninguém ter a meta de voltar para tentar o feito de conquistar títulos no clube como treinador também. Entretanto, a palavra de momento é calma.

Em entrevista ao Blog do Mauro Cezar, no UOL Esporte, o M1to deixou seu nome de lado e afirmou que, atualmente, manteria o companheiro de profissão Fernando Diniz no posto de treinador por estar mostrando bom crescimento profissional.

Se eu sou um diretor do São Paulo, ficaria com o Diniz lá. Bom profissional e está crescendo na carreira”, disse Rogério Ceni.

>> Assista a esportes ao vivo ou quando quiser no DAZN. Experimente grátis!

Se fosse para escolher, eu queria melhorar o máximo que pudesse, com o Fortaleza mantendo-se na Série A, melhorando o Centro de Treinamentos, melhorando o gramado, colocando drenagem no campo do CT, nova fisioterapia… Isso se chama legado. Estou superfeliz aqui e quero tentar repetir e ganhar mais um título esse ano. Se surgir proposta em um ou dois anos, se eu seguir tendo sucesso, aí vamos estudar”, completou.

Goleiro do Tricolor por 25 anos, Rogério Ceni conhece cada palmo do CT da Barra Funda e do Estádio do Morumbi e trabalha com calma para não deixar que a pressão de voltar ao clube de coração o faça dar passos errados em sua carreira.

Agora, sobre um dia voltar, se acontecer será um prazer enorme, trabalhei 25 anos lá, uma vida dentro do futebol. Tenho o maior carinho pelo clube, pessoas e dirigentes. Teve esse problema com o Leco, que acontece, faz parte do futebol. No Fortaleza começo a ganhar espaço porque conseguimos ganhar títulos, mas o São Paulo é o clube que me formou”, declarou.

Independentemente de voltar a trabalhar lá, ou não, é eterno para mim e está no meu coração para sempre. Não há obrigação nenhuma do São Paulo para minha volta. Deixei a vida lá dentro e fiz o meu melhor. Se for possível dar continuidade a essa história, vai acontecer. Essa é uma relação que talvez Zico no Flamengo e Roberto (Dinamite) no Vasco e muito poucos tiveram. Esse sentimento de tantos anos no mesmo clube”, finalizou.

NÚMEROS DO TREINADOR ROGÉRIO CENI NO TRICOLOR

Após fazer curso de treinador na Inglaterra, Ceni aceitou o desafio de comandar o São Paulo em 2017 e somou um total de 37 jogos, 14 vitórias, 13 empates e dez derrotas, mas deixou o clube devido a resultados ruins e desavenças com o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

O Meu Tricolor usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Leia mais