São Paulo ‘protege’ Fernando Diniz após derrota e não cogita troca de treinador

Fernando Diniz continua com o respaldo dos integrantes do departamento de futebol do São Paulo. Mesmo depois da derrota para a LDU, ontem, em Quito, pela Copa Libertadores, Raí e Alexandre Pássaro, que comandam a pasta, não cogitam a troca. A situação, é claro, pode mudar com a dinâmica do esporte e os resultados das próximas partidas. Também neste sentido de proteção ao comandante, o clube questiona a repercussão da coletiva do técnico após o duelo no Equador.

Na ocasião, o treinador falou que o “São Paulo ganhou o segundo tempo por 2 a 1”, sendo que a partida acabou 4 a 2 para o adversário. Porém, tal frase foi dita dentro de um contexto, que era o de exaltar a participação dos jovens jogadores. Na visão do São Paulo, esse trecho foi tirado e utilizado de maneira maldosa nas redes sociais e até por parte da imprensa.

Influencia [ter muitos jovens em um torneio como a Libertadores], se analisar nesse jogo, de maneira positiva. O time no segundo tempo ganhou de 2 a 1. Não é porque são jovens que não têm condições de jogar Libertadores. Temos um elenco muito bom. Temos a ausência de Daniel Alves e Luciano, mas eles [jogadores que entraram] não porque são bons jogadores. Muitas vezes falaram dos jovens que entraram quando nos classificamos para a Libertadores“, disse Diniz.

LEIA MAIS DO SÃO PAULO:
+ Ex-jogador do São Paulo vê evolução do trabalho de Diniz: “Faz um trabalho legal”
+ São Paulo anuncia parceria com empresa de isotônicos naturais; confira detalhes
+ Liziero sofre entorse, passa por cirurgia no tornozelo e não joga mais em 2020; veja prazo de recuperação

Diniz vai completar um ano de São Paulo no próximo dia 26. O treinador, que substituiu Cuca, é bastante questionado desde a eliminação para o Mirassol, no Paulistão. O treinador tem contrato com o clube nos moldes da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), sem um prazo de validade.

Essa não é a primeira vez, porém, que o técnico é criticado. No início deste ano, por exemplo, ele era alvo da reclamação de parte da torcida. Na época, quando chegou a ser chamado de “burro”, o Tricolor soltou até uma mensagem para enaltecer o trabalho do comandante.

Construir e ter prazer em jogar futebol. O que se treina é o que se joga. O time que cria mais e oferece menos chances é o time que está mais perto de ganhar. É a probabilidade, e vamos ficar com ela. Perseverança e persistência“, escreveu o clube em suas redes sociais em fevereiro.

Fonte: UOL Esporte

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

O Meu Tricolor usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Leia mais