Souza, ex-São Paulo, relembra tretas com Vampeta e cutuca: “Ele bateu com um cabra arretado”

Jogadores trocavam provocações antes de clássicos entre São Paulo x Corinthians nos anos 2000

O clássico São Paulo x Corinthians nos anos 2000 ficou marcado por inumeras provocações entre Souza e Vampeta. As cutucadas dos atletas tomavam conta dos noticiários e colocaram fogo no Majestoso.

Apesar de fazer quase 15 anos do último embate, Souza lembra com bom humor das provocações com o ex-jogador do Corinthians e nega, em entrevista ao site Globoesporte.com, que todas as polêmicas eram planejadas.

De verdade, não foi nada programado. Ele aproveitou a fase boa que teve no Corinthians e, quando voltou achando que ia continuar, aí pegou um nordestino, cabra arretado, numa fase boa, cheio de alegria no coração, todo extrovertido, aí pegou um igual ou pior que ele… Aí já viu. Começamos a usar aquele ditado: “Pau que dá em Chico, dá em Francisco também“, disse.

E eu sempre escutei que chumbo trocado não dói, mas nele doeu um pouquinho. Ele não aguentou“, acrescentou.

Souza conta que possui uma relação amistosa com Vampeta longe dos gramados e diz nunca ter imaginado ter se tornado um porta-voz do Tricolor nas zoeiras com os rivais.

Eu encontrei ele algumas vezes, não era um amigo particular, mas um companheiro de profissão. E como eu sempre acompanhei o futebol, eu via as tirações de onda que ele fazia, mas nunca me imaginei um dia no São Paulo participando de tudo aquilo que eu via ele fazer“, destacou.

Aos 40 anos, o jogador, que defende o Murici, de Alagoas, diz sentir falta das brincadeiras e provocações. Afinal, elas serviam como grande motivação para os clássicos entre São Paulo e Corinthians.

Vale ressaltar que isso também faz parte do futebol, mas se perdeu um pouco, porque, quando começam a distorcer as coisas, levar por outro lado, sempre vem um torcedor para torcer e outro para brigar. Infelizmente. Eu acho que tem que ter ser essa provocação sadia, claro, sem violência. Pena que o futebol perdeu um pouco disso“, finalizou.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

O Meu Tricolor usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Leia mais